Área Restrita
Portal

MedSys.Net
 Dúvidas?
Notícias
Cuidado redobrado com a Dengue

 

 

 

Conheça as particularidades do mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya, Febre amarela e Zika:

  • O Aedes aegypti deposita seus ovos preferencialmente em águas limpas – suas larvas não conseguem sobreviver em reservatórios poluídos, com dejetos e muita matéria orgânica, enquanto o Pernilongo  prefere colocar seus ovos em criadouros bastante poluídos, com muita matéria orgânica em decomposição;
  • O Aedes aegypti coloca seus ovos em água limpa, não necessariamente potável, mas com pouco material em decomposição. Por isso, é importante reforçar que alguns cuidados básicos são fundamentais para o controle do vetor da dengue:
  1. tampar caixas e tonéis de água,
  2. desentupir ralos que possam acumular água,
  3. jogar fora pneus velhos,
  4. evitar deixar garrafas e recipientes que possam acumular água da chuva em área descoberta e virá-los de cabeça para baixo,
  5. eliminar pratinhos com água embaixo dos vasos de planta.
  • O Aedes aegypti coloca os ovos na parte úmida próxima à lâmina d’água e não diretamente na água, como faz o Pernilongo.Os ovos do mosquito transmissor da dengue podem ficar até um ano no seco e ainda assim serem capazes de originar novos mosquitos e encontrarem condições propícias para eclodir. Os ovos podem ser carregados para outras regiões pela ação humana e resistir até as chuvas do próximo verão, dificultando as ações de controle;
  • Dentro das casas, é fácil diferenciá-los: quando adulto, o Pernilongo  tem uma coloração marrom e as pernas não possuem marcação clara, enquanto o Aedes aegypti é mais escuro e possui marcações brancas no corpo e nas pernas. Além disso, o Aedes aegypti costuma ser mais ativo durante o dia, em especial no início da manhã e no fim da tarde, alimentando-se de sangue, geralmente de partes baixas do corpo, como pés e canelas. O Pernilongo, por sua vez, é um mosquito estritamente noturno, que prefere se alimentar no horário em que as pessoas estão em repouso.
  • Dentro de casa os dois convivem bem e costumam ser encontrados nos mesmos abrigos: debaixo de mesas, atrás de móveis e entre cortinas.
Galeria de Imagens

Publicado em: 15/12/2017 - Fonte: Ministério da saúde